Práticas de Inclusão escolar

  • Estudante - Maria
  • *(nome fictício)/
  • prof. Diane Marli Lemes
 
  • *Maria tem diagnóstico de paralisia cerebral afetando os membros superiores e inferiores, e sua comunicação se faz com expressões faciais e uso do computador. A estudante é egressa de Escola Especial, onde cursou o programa de Ensino Fundamental/Anos iniciais e hoje com 11 anos e 04 meses, freqüenta Ensino regular/ 3º ano, após Processo de Classificação de Estudos.
  • Na área sócio – emocional foi observado que Maria demonstra bom vínculo, relacionando-se com o grupo e demais funcionários da escola.  Mostra interesse para realizar as atividades propostas, sendo necessário mediação constante da profissional de apoio durante a execução das mesmas. Faz uso de computador em sala de aula, e o treino da digitação com a utilização do computador e recursos para mobilidade, é realizado  no Atendimento Educacional Especializado na Sala de Recursos Multifuncionais.
  • Seus materiais são engrossados, representando desenhos rudimentares, limitações tanto a execução das atividades, devido ao seu quadro, não obstante apresenta ótimo nível de compreensão dos conteúdos. No Atendimento Educacional Especializado faz uso do Teclado Colméia, utilizando um dedo o qual tem sido feito treino para digitação.
  • Maria está alfabetizada, evidencia  domínio de seu nome, lê e escreve pequenos textos, acompanhando os conteúdos propostos.
 
  • O conteúdo foi ministrado em sala de aula do Ensino Regular e a atividade foi realizada primeiramente no Atendimento Educacional Especializado em Sala de Recursos Multifuncionais, apresentando  a descrição das imagens, onde após explanações a estudante respondeu as questões apontando os símbolos gráficos PECS. A primeira pede para apontar os animais; a segunda para apontar os vegetais e a terceira para apontar os minerais. Abaixo de cada questão visualiza-se uma série de símbolos gráficos com imagens representativas dos três reinos da natureza, onde após a execução das atividades relacionadas, com o uso do computador, foi realizada a impressão dos símbolos, feito o engrossamento com placa de EVA específica e a atividade foi realizada sobre a mesa. Em um segundo momento em data  previamente agendada, na sala de aula do ensino regular as mesmas pranchas foram reproduzidas para os demais estudantes sem a necessidade do engrossamento. A classe executou juntamente com Maria, observando-se que os demais estudantes apresentaram as mesmas dificuldades que Maria apresentou, e que com adaptação de recursos, e atividades planejadas promovem uma ação educativa de estudantes do ensino comum junto a alunos com deficiência.

Redes Sociais:
Visitantes: 144

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *