Encefalopatia Crônica não progressiva

Paralisia Cerebral

 
  • Definição
  • A Paralisia Cerebral consiste em um grupo heterogêneo de condições patológicas não-progressivas do movimento e da postura, que se manifestam no início da vida, atribuídas à várias etiologias, conhecidas e desconhecidas, envolvendo o cérebro imaturo.
 
  • Causas e Tipos
  • No que diz respeito às causas, elas podem ser atribuídas:
  • 1. Pré-natais: aquelas que ocorrem antes do nascimento
  • 2. Peri-natais: aquelas que ocorrem durante o nascimento
  • 3. Pós-natais: aquelas que ocorrem após o nascimento
  • Há ainda aquelas desconhecidas, nas quais não se consegue detectar a causa ou etiologia.
 
  • Quanto aos tipos de Paralisia Cerebral, são fundamentalmente quatro:
  • - Espástico
  • - Atetósico
  • - Atáxico
  • - Flácido
  • O mais comum é o tipo Espástico e o mais raro é o tipo Flácido.
 
  • Tratamento
  • Quanto ao tratamento, este consiste em atendimento de uma equipe multidisciplinar, envolvendo neuro-pediatra, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, psicólogo, fonoaudióloga e algumas vezes professores especializados.
  • Casos há que necessitam suporte medicamentoso, quando existe associação de Paralisia Cerebral com Epilepsia ou quando é intensa a espasticidade, sendo então recomendado o uso de relaxantes musculares.
 
  • Prevenção
  • A prevenção da Paralisia Cerebral envolve aspectos os mais diversos, que consistem principalmente em:
  • - Evitar casamentos consangüíneos;
  • - Fazer pré-natal regularmente, desde o momento, e até antes, da gravidez;
  • - Não ingerir bebidas alcoólicas;
  • - Não usar drogas e evitar o uso de qualquer medicamento;
  • - Não fumar e evitar contato com fumantes;
  • - Evitar situações conflitantes que possam levar ao “stress”.
Redes Sociais:
Visitantes: 185

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *