A escola reprodutora e as Tendências Pedagógicas
  • A escola reprodutora e as Tendências Pedagógicas
 
  • A   educação brasileira não nasceu a serviço dos interesses do povo brasileiro. O objetivo foi  servir aos interesses das classes dominantes.Ao longo dos tempos tendências pedagógicas foram concebidas com base em pensadores em seus contextos históricos os quais estavam inseridos, como suas concepções e visões de homem e de mundo, tendo como objetivo apontar um caminho para o trabalho docente a partir de suas necessidades. A educação brasileira tem sido marcada por tendências nas suas formas ora conservadora, ora renovada. Tais tendências semanifestam, concretamente, nas práticas escolares e no fazer pedagógico de  muitos professores, ainda que estes não se dêem conta disso. Ao longo dos tempos tendências pedagógicas foram concebidas com base em pensadores em seus contextos históricos os quais estavam inseridos, como suas concepções e visões de homem e de mundo, tendo como objetivo apontar um caminho para o trabalho docente a partir de suas necessidades. O conhecimento dessas tendências e perspectivas de ensino por parte dos professores é fundamental para a realização de uma prática docente realmente significativa, que tenha algum sentido para o aluno.
 
  • Tendência liberal tradicional -
  • Sustenta a ideia de que a escola tem por função preparar os indivíduos para o desempenho de papéis sociais, de acordo com as aptidões individuais, necessitando adaptar-se aos valores e normas da sociedade através do desenvolvimento da cultura individual. As diferenças entre as classes sociais não são consideradas, e embora a escola passe a difundir a idéia de igualdade de oportunidades, não leva em conta a desigualdade de condições. Esta tendência é uma justificação do sistema capitalista. Aponta a idéia de igualdades de condições. Os procedimentos didáticos, as relações professor/aluno não têm nenhuma relação com o cotidiano do aluno e muito menos com as realidades sociais.
 
  • Tendência Liberal renovada Progressivista -
  • A escola continua, a preparar o aluno para assumir seu papel na sociedade, adaptando as necessidades do educando ao meio social, por isso ela deve imitar a vida. Se, na tendência liberal tradicional, a atividade pedagógica estava centrada no professor, na escola renovada progressivista, defende-se a idéia de "aprender fazendo", portanto centrada no aluno, valorizando as tentativas experimentais, a pesquisa, a descoberta, o estudo do meio natural e social, etc., levando em conta os interesses do aluno, enfatiza-se o aprender a aprender. O método utilizado é o trabalho em grupo, aprender fazendo. Não há lugar especial para o professor, ele tenta harmonizar a disposição do aluno.
 
  • Tendência Liberal Renovada Não-Diretiva -
  • Ressalta-se o papel da escola na formação de atitudes, os problemas psicológicos mias do que com os pedagógicos ou sociais. A aprendizagem ocorre quando se estiver relacionada  ao "eu", o que torna a avaliação escolar sem sentido, privilegiando-se a auto-avaliação. Trata-se de um ensino centrado no aluno, sendo o professor apenas um facilitador, ou seja, o papel da escola é promover o auto desenvolvimento pessoal, os alunos buscam por si mesmo os conhecimentos. O professor é o próprio método, é facilitador. A educação é centrada no aluno, o professor é especialista em relações humanas.
 
  • Tendência Liberal Tecnicista -
  • O sistema produtivo é ressaltado. O papel da escola é produzir indivíduos competentes para o mercado de trabalho. Os conteúdos de ensino são por princípios científicos. Os métodos de ensino são através de procedimentos que assegurem a transmissão e recepção de informações. O professor é o elo entre a verdade científica e o aluno.
 
  • Tendência progressista libertadora -
  • Ao invés de conteúdos tradicionais, trabalha com “temas-geradores”, extraídos da realidade dos educandos. A relação entre aluno e professor horizontal, os dois se posicionando como sujeitos do ato de conhecimento.
 
  • Tendência progressista libertária -
  • O conhecimento advém das experiências vividas pelo grupo, principalmente as de participação crítica. Não há relação de poder entre aluno e professor, e este se coloca como orientador e catalisador do grupo para uma reflexão comum.
 
  • Tendência progressista -
  • Os conteúdos são indissociáveis das relações sociais, com a participação da escola e dos alunos na democratização da sociedade.  O saber deve ser adquirido sendo vinculado às realidades sociais. Apesar dos contrastes entre aluno e professor, deve haver um envolvimento entre as duas partes.
 
  • Diante do exposto  podemos entender que a educação reproduz a sociedade e as ideologias vigentes. A escola é considerada como um ambiente discriminatório, ela imprime ideologias das classes dominantes e, em vez de democratizar, ela reproduz as diferenças sociais, promovendo a exclusão social das classes menos favorecidas economicamente, por não terem condições materiais de acesso às escolas privadas que se expandiam dado ao ambiente favorável a investimentos na escola como empresa lucrativa. O ensino não deve centralizar-se no professor e também no aluno porque não há um aluno, ou grupo de alunos, aprendendo sozinho, nem um pro­fessor ensinando para as paredes.Existe o aluno, sua cultura, sua herança cultural, seu modo de viver... e há um professor que interage, interfere, não para se opor, mas para ajudar a ultrapassar obstáculos e, para ganhar autonomia. Professor e aluno, juntos para distinguir o certo e o errado, na compreensão das realidades sociaisde suas próprias experiências.
Redes Sociais:
Visitantes: 139

2 thoughts on “A escola reprodutora e as Tendências Pedagógicas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *