Projeto Participar

http://www.projetoparticipar.unb.br/

   
  • Olá pessoal,
  • Professores da Educação Básica ganharam mais um aliado para aprimorar as metodologias de ensino e inclusão para estudantes com deficiência intelectual, como a Síndrome de Down, nas escolas. Uma das novidades desenvolvidas pela equipe do Projeto Participar, iniciativa nascida no Departamento de Ciência da Computação da Universidade de Brasília, o software Organizar oferece auxílio para o aprendizado de tarefas simples realizadas no dia a dia, como o gerenciamento do tempo e noções básicas sobre clima e estações do ano.

  • “O software não é meramente conteudista, mas mantém como principal vertente a aplicabilidade social dos conteúdos aprendidos, principalmente no cotidiano fora das escolas, com a finalidade de fomentar a interação e a inclusão social desses estudantes. São conteúdos de vida”, explica o coordenador do projeto e professor do Departamento de Ciência da Computação, Wilson Henrique Veneziano.

  • Entre as principais funcionalidades, uma agenda eletrônica possibilita aos estudantes com deficiência intelectual controlarem seus compromissos rotineiros como os horários de transporte escolar, das refeições, de tomar seus medicamentos, entre outros. Umas das lições também oferece informações sobre as quatro estações do ano, relacionando com as condições climáticas de cada uma e as roupas adequadas para uso. Os usuários podem aprender ainda questões básicas a respeito do calendário, como dia da semana, dia do mês, número e nome do mês e do ano.

  • Além de se aproximar da realidade cotidiana de pessoas com déficit de aprendizado, também são diferenciais da ferramenta o fato de favorecer a identificação dos usuários com as experiências e ambientes reais retratados e de estimular a cognição com interatividade, por meio de recursos audiovisuais como vídeos explicativos e motivacionais.

  • O software, disponível para tablets com sistema Android, levou cerca de um ano e meio para ser desenvolvido. Junto ao professor Veneziano, uma equipe de voluntários – composta por designers gráficos, pedagogos, produtores de vídeo, estudantes do curso de Licenciatura em Computação da UnB e atores com Síndrome de Down – foi responsável por conceber os vídeos, fazer a programação visual das telas e desenvolver as funcionalidades e conteúdos pedagógicos.

  • Para adaptar os recursos às necessidades de aprendizado desses estudantes, especialistas pesquisaram os requisitos educacionais previstos no currículo funcional do Ministério da Educação. Dois atores com Síndrome de Down foram convidados para gravar os vídeos explicativos, estratégia que contribui para maior aceitação dos conteúdos pelos usuários. “Isso favorece o estabelecimento de um laço afetivo com os estudantes com deficiência intelectual, visto que a afetividade é um ponto importante no processo educacional desse público”, alega Veneziano.
 
  • Abraços Inclusivos!
  • fonte - uniab
Redes Sociais:
Visitantes: 115

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *