Inclusão Social do estudante com TEA
  • Nos últimos anos, a conscientização acerca dos direitos da pessoa autista tem ganhado o espaço na sociedade. Embora tal enfoque tenha vindo depois de muita incompreensão, é louvável que a atual geração já comece a ter o reconhecimento que esse grupo merece.
 
  • Contudo, ainda é preciso saber de muitas maneiras que podem facilitar o acesso de quem tem o autismo a atividades sociais. As ações de inclusão podem começar em casa, em situações que farão com que a criança, o adolescente ou o adulto possa ser inserido em atividades que podem trazer ao autista e a seus familiares resultados muito satisfatórios.

 
  • Inclusão pela Lei
  • Em 2014, as pessoas com autismo ganharam um respaldo muito importante no que diz respeito ao acesso a vários serviços aos quais elas têm total direito. A Lei 12.764/2012 foi regulamentada pelo Decreto Presidencial 8.368/2014 e ela garantiu por lei a qualificação e a acessibilidade aos serviços públicos do Sistema Único de Saúde (SUS), da educação e de proteção social para pessoas com o Transtorno do Espectro do Autismo.
 
  • Infelizmente, como tudo isso é muito recente, ainda é comum que jornais e ONGs denunciem casos de escolas particulares que negam o ingresso de um estudante autista ou até cobrem valores adicionais por essa condição. Há também escolas públicas que não têm profissionais capacitados e muito menos uma preparação pedagógica que possa acompanhá-lo dentro de suas necessidades.

 
  • O que se pode fazer
  • A notícia boa é que existem várias maneiras de tornar o autista parte das atividades realizadas por outras pessoas. O detalhe é que tudo depende de muita compreensão e deve acompanhar o tempo dele.
 
  • O ambiente familiar é, em primeiro lugar, o mais indicado para auxiliar o autista. Para começo de conversa, o carinho e a paciência devem vir antes de tudo. Os pais, os familiares e a equipe responsável pelo tratamento conhecem quais são os pontos que significam desafio para a pessoa autista, então é preciso saber como trabalhá-los, mas de forma que possibilite a inclusão. Sendo assim, seguem algumas dicas importantes:
 
  • – Nunca impeça a criança de brincar
  • Quando você perceber que a criança autista quer se juntar às demais, não impeça. É importante que ela se sinta motivada. É muito comum que o pequeno se sinta inibido também, uma boa sugestão é induzir que as outras crianças o convidem para a brincadeira. Basta apenas explicar que o autista tem algumas diferenças, mas que não impedem, de maneira nenhuma, que sejam amigos.
 
  • – Conscientize o grupo ao qual ele será incluído
  • Informação é tudo. Sendo assim, é importante que o grupo de colegas saiba quais são as características (como as hipersensibilidades) que o autista pode apresentar, assim como algumas mudanças de humor. Tudo isso é imprescindível para que todos saibam que o autista é uma pessoa comportamentos especiais e merece total respeito.
 
  • – Pode ser carinhoso, mas respeitando o espaço
  • Uma das características que os autistas podem apresentar é o fato de não gostarem da sensação de enclausuramento. Isso significa que os abraços e outros apertos não são tão legais assim para eles. Contudo, outras demonstrações de carinho podem ser feitas, como o entendimento de suas condições e o convite a outras atividades.
 
  • – Conscientização social
  • Em tempos de redes sociais e acessibilidade comunicacional, nada melhor que estabelecer canais que promovam a conscientização para um público maior. O conhecimento é fundamental para que haja respeito, compreensão e amor.
 
  • – Nunca subestime um autista
  • Se por um lado, o autista pode ter algumas limitações, por outro ele pode ser surpreendentemente brilhante. Procure identificar em que ponto ele desenvolve suas habilidades e tente fazer uma aproximação do autista com os outros que estão por perto.
 
  • É importante sempre lembrar que o autista não pode viver em uma bolha, isso significa que toda forma de interação é bem-vinda, respeitando-se sempre suas condições.
 
  • fonte - entendendo o Autismo
Redes Sociais:
Visitantes: 212

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *