Córtex cerebral e os lobos cerebrais

No cérebro há uma distinção visível entre a chamada massa cinzenta  (córtex cerebral constituído por neurónios) e a massa branca, constituída por axónios que entreligam os neurónios. O córtex cerebral humano é um tecido fino (como uma membrana) que tem uma espessura entre 1 e 4 mm e uma estrutura laminar formada por 6 camadas distintas de diferentes tipos de corpos celulares de neurónios. As diferentes partes do córtex cerebral são divididas em quatro áreas chamadas de lobos cerebrais, tendo cada uma funções diferenciadas e especializadas. Os lobos cerebrais são designados pelos nomes dos ossos cranianos nas suas proximidades e que os recobrem. O lobo frontal fica localizado na região da testa; o lobo occipital, na região da nuca; o lobo parietal, na parte superior central da cabeça; e os lobos temporais, nas regiões laterais da cabeça, por cima das orelhas. Os lobos parietais, temporais e occipitais estão envolvidos na produção das perceções resultantes daquilo que os nossos órgãos sensoriais detetam no meio exterior e da informação que fornecem sobre a posição e relação com objetos exteriores das diferentes partes do nosso corpo.

 
  • Lobo Frontal
 

Está envolvido no planeamento de ações e movimento, assim como no pensamento abstrato. A atividade no lobo frontal aumenta nas pessoas normais somente quando temos que executar uma tarefa difícil em que temos que descobrir uma sequência de ações que minimize o número de manipulações necessárias. As suas funções parecem incluir o pensamento abstrato e criativo, a fluência do pensamento e da linguagem, respostas afetivas e capacidade para ligações emocionais, julgamento social, vontade e determinação para ação e atenção seletiva. Traumas no córtex pré-frontal fazem com que uma pessoa fique presa obstinadamente a estratégias que não funcionam ou que não consigam desenvolver uma sequência de ações correta.

   
  • Lobo Occipital

Esta área é também designada por córtex visual, porque processa os estímulos visuais. É aqui que a informação recebida é comparada com os dados anteriores que permite, por exemplo, identificar um cão, um automóvel, uma caneta. A área visual comunica com outras áreas do cérebro que dão significado ao que vemos tendo em conta a nossa experiencia passada, as nossas expetativas. Por isso é que o mesmo objeto nao é percepcionado da mesma forma por diferentes sujeitos. Uma lesão nesta área provoca "agnosia", que consiste na impossibilidade de reconhecer objetos, palavras e, em alguns casos, os rostos de pessoas conhecidas ou de familiares.

   
  • Lobo Temporal Tem como principal função processar os estímulos auditivos. Tal como no lobo occipital, é uma área de associação -área auditiva secundária- que recebe os dados e que, em interacção com outras zonas do cérebro, lhes atribui um significado permitindo ao Homem reconhecer o que ouve.
 
  • Lobo Parietal

Os lobos parietais, localizados na parte superior do cérebro. Tem por função possibilitar a recepção de sensações, como o tacto, a dor, a temperatura do corpo, é também responsável por receber os estimulos que têm origem no ambiente, estão representadas todas as áreas do corpo.

   

fonte pousadamente

Redes Sociais:
Visitantes: 172

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *