Estratégias Específicas de Disciplina

  • Imagem intitulada Discipline a Child with Autism Step 9

    1

    Crie um relacionamento direto entre a disciplina e o comportamento problemático.

    É muito importante disciplinar seu filho imediatamente depois que o mau comportamento ocorreu. Às vezes, pode ser inteligente, como um pai, escolher suas batalhas. Se você esperar muito tempo para punir seu filho, ele pode ficar confuso em relação ao motivo pelo qual ele está sendo punido. Se passar muito tempo e seu filho não puder atribuir a punição ao comportamento específico, é melhor deixar o problema passar. Se o seu filho aprender bem através de táticas visuais, crie uma série de figuras que explicam como o mau comportamento leva à punição e como o bom comportamento leva a recompensas. Isso ajudará o seu filho a entender a relação entre o mau comportamento e a disciplina.

  • 2

    Tenha diferentes níveis de disciplina.

    Não mantenha apenas uma punição ou um tipo de punição. Deve haver uma por meio da qual a punição é administrada de acordo com a gravidade do comportamento. Os meios de disciplina que você adotar devem depender da gravidade do problema. O autismo não é apenas um transtorno. É um espectro de transtornos. Então todas as crianças e todos os problemas de comportamento não têm uma única solução. É necessário lidar com eles de formas diferentes dependendo da criança e da gravidade do problema.

  • 3

    Saiba que a consistência na disciplina é essencial. Seu filho precisa fazer a associação que o comportamento indesejado levará a resultados indesejados, e que esses resultados acontecerão, não importa quem aplica a disciplina.

  • 4

    Escolha as formas de disciplina que você acha que funciona melhor com seu filho.

    Uma vez que você tenha entendido qual disciplina funciona melhor com seu filho, escolha várias e as mantenha. Por exemplo:

    • Taticamente ignorar comportamentos para desafiar ou chamar sua atenção e birra. Isso inclui a ausência de contato visual e de reação física ou verbal. Isso passa para a criança a mensagem de que o seu comportamento não é aceitável e que comportamentos indesejados são ignorados. Essa tática é mais bem aplicada para crianças gritando e de mau humor.
    • Procedimento de contagem: quando o seu filho começar a fazer birra, você diz: “Sem chorar” (ou alguma outra coisa com significado semelhante). Depois comece a contar em voz alta imediatamente, mas pare assim que a criança começar a birra novamente. Repita “Sem chorar”. Recomece a contagem cada vez que a criança parar. Quando você chegar ao número combinado, por exemplo, 10 ou 20, pergunte para a criança: “O que você quer?”
    • Use a perda de recompensas como uma disciplina. Se o seu filho está se comportando inadequadamente, a perda de uma recompensa pode ser considerada uma forma de punição por essa criança.
  • 5

    Entenda que você deve ficar confortável ao realizar em público o tipo de disciplina que você escolher.

    Assim, surrar ou bater como forma de disciplina não é recomendado. Você pode se sentir confortável ao bater no seu filho em casa, mas se você não quiser fazer isso em público, isso ensina ao seu filho onde esses comportamentos são aceitáveis (fora de casa). Além disso, crianças com autismo podem ficar frustradas ou com raiva facilmente. Uma das formas de expressar essa frustração é com violência. Responder à violência com mais violência pode reforçar no seu filho que não há problema em se tornar violento quando ficar chateado.
  • 6

    Evite rotular seu filho como “mau” ou “errado”.

    Aponte o comportamento incorreto do seu filho de uma forma que o encoraje a agir corretamente. Por exemplo, diga a ele:

    • “Eu entendo que você esteja muito chateado com o que aconteceu, mas essa gritaria é...”
    • “Eu acho que você está fazendo isso porque…”
    • “Vamos encontrar um jeito para você expressar a sua preocupação de uma forma melhor...”
  • 7

    Lembre-se de que muita ‘disciplina’ envolve o encorajamento do comportamento certo do seu filho em vez da punição ao comportamento errado.

    Trabalhe com o seu filho para identificar o que é aceitável e apresente a ele alternativas que sejam aceitáveis (como indicado acima). Quanto mais você reforçar os comportamentos bons, com mais frequência eles serão aplicados pelo seu filho. Se os comportamentos continuarem, pode ser benéfico consultar um especialista em comportamento para expressar suas preocupações.
Redes Sociais:
Visitantes: 94

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *