Estratégias de Ensino – Estratégias Naturalistas
  • CBI of MIAMI/Aída Teresa dos Santos Brito, Natalie Brito Araripe
 
  • O que são estratégias naturalistas?
  • Uma das maiores dificuldades do aluno numa intervenção onde só se realiza DTT é a de se generalizar os comportamentos aprendidos na intervenção estruturada. As estratégias naturalistas são uma excelente ferramenta para estimular essa generalização. O ensino é realizado em ambiente natural, ou seja, nos ambientes onde o comportamento deve naturalmente ocorrer, facilita a aquisição de repertório verbal e é realizada em ambientes com menos controle de variáveis. Nas abordagens naturalísticas, a atividade geralmente é mais agradável para a criança, o gerenciamento do ensino ocorre diretamente por meio da motivação dela, a intervenção é realizada por meio da manipulação dos estímulos de interesse dela e estímulos de alta preferência devem estar disponíveis. Todas as estratégias naturalistas têm pontos em comum, a saber:
 
  • 1. Uso de estratégias de motivação como elemento instrucional.
  • 2. Inserção de alvos relevantes.
  • 3. Contexto que facilita a generalização.
  • 4. Incorpora pais, professores e pares.
 
  • Sobre uso de estratégias de motivação, é importante compreender o conceito de operação motivadora para a análise do comportamento. Uma operação motivadora é qualquer variável ambiental que:
  • - Altera (aumentando ou diminuindo) a efetividade reforçadora de algumas consequências.
  • - Altera (aumenta ou diminui) a frequência momentânea de um comportamento que tenha sido controlado por um reforço que teve sua efetividade aumentada ou reduzida.
 
  • Alteramos o ambiente quando programamos operações motivadoras para aquela criança, deixando-a sem acesso a itens de preferência antes da terapia, por exemplo. Em relação à inserção de alvos relevantes, é importante que os objetivos sejam selecionados dentro de vários domínios do conhecimento e que sejam cúspides comportamentais, ou seja, comportamentos que permitam o aprendizado de outros repertórios. Para facilitar a generalização, é relevante que alguns pontos sejam organizados para conservarem similaridade nos diversos contextos de ensino: o planejamento de materiais, pessoas envolvidas, ambiente de ensino e a seleção de alvos que tenham relação com o ambiente de ensino. É bem melhor que o escovar os dentes seja ensinado no banheiro, por exemplo!
 
  • Ensino Incidental O ensino incidental refere-se "às interações entre um adulto e uma criança que ocorrem naturalmente em situações rotineiras, e que são usadas pelo adulto para transmitir novas informações ou promover a prática no desenvolvimento de novas habilidades de comunicação” (Hart e Risley, 1975, apud Lamônica, 1993. P. 01). A criança inicia o episódio incidental por meio de comentários, direcionamentos ou gestos. Na intervenção incidental fazemos o arranjo do ambiente, selecionamos metas apropriadas ao desenvolvimento da criança e respostas consistentes à interação verbal que ela comumente apresenta, reforçamos e modelamos as iniciativas de comunicação. Episódios incidentais são breves, positivos e orientados para a comunicação.
 
  • Um episódio incidental é organizado em quatro passos:
  • - Passo 01: terapeuta aguarda a iniciação da criança.
  • - Passo 02: Terapeuta solicita uma resposta mais elaborada da criança.
  • - Passo 03: Criança emite a resposta. Caso ela não faça, deve-se usar prompts.
  • - Passo 04: Terapeuta oferece material que gerou a iniciativa da criança.
 
  • No passo 01, o terapeuta deve organizar o ambiente com operações motivadoras, fazer a alocação temporal da disponibilização dos reforçadores no ambiente, o que exige um bom tempo de planejamento. No passo 02, ele solicitará a resposta estabelecida no alvo, pode usar dicas se a criança não emitila de forma independente, no sistema menos para mais. No passo 03, ele avança com dicas mais intrusivas caso ela não emita a resposta e no último passo, ele reforça o comportamento dela, entregando o item que gerou o episódio.
 
  • Registros Em Estratégias Naturalísticas
  • Os protocolos de registro são muito importantes para o manejo de estratégias naturalísticas. O ponto de partida devem ser os objetivos, que podem estar todos elencados em uma mesma folha, ou ela pode contemplar apenas um objetivo. Os objetivos sempre devem ser operacionalizados em comportamentos-alvo. Uma forma bastante utilizada para o registro de protocolos naturalistas é o registro da frequência do comportamento em um dia ou em um tempo estabelecido. Essa frequência pode ser registrada apenas com a marcação da ocorrência ou não do comportamento, ou podemos utilizar legendas para marcar se a resposta ocorreu de forma independente ou com ajuda.
Redes Sociais:
Visitantes: 1586

2 thoughts on “Estratégias de Ensino – Estratégias Naturalistas

  1. Hi great blog! Does running a blog like this require a large amount
    of work? I have no understanding of coding but I had been hoping to start my own blog soon. Anyways, should you have any ideas or tips for new blog owners please
    share. I know this is off topic however I just needed to ask.
    Many thanks!

    1. Olá,
      Me alegro que gostou da formatação e das postagens. Isso mesmo, vale a pena a criação de um blog, pois é uma ferramenta que tem potencial de auxílio em uma área, causa, a si mesmo e ao próximo.
      Abraços!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *