Sugestões para início de trabalho – Estudante com TEA
  • Por Diane Marli
 
  • Olá colegas,
  • Quem não gosta de receitinhas? Pois é, eu também gosto!
  • Separei aqui, sugestões preciosas para início de  trabalho destinado a estudantes com autismo. É claro, sempre adequando ao seu contexto.
 
  • Rotina Visual – (Para crianças que falam e também para as que não falam)
  • Quando organizo a rotina visualmente, o que meu estudante vai fazer durante aquele dia. (Tem tais aulas, atividade... planejo e faço uma rotina com todas atividades. Da primeira a última, e esse estudante irá visualmente sabendo o que ele vai fazer. Pode ter 2 colunas, 1 ao lado da outra. Estudos comprovam que reduz a ansiedade. Pode ser atividades novas ou não. pesquisas mostram que mesmo que o estudante já conheça a atividade, sem a visualização da rotina  há um número maior de agressividade apresentada, e mesmo que não conheça a atividade com a apresentação da rotina há uma diminuição da agressividade. (utilizo plastificadora, velcro, e conseguimos fazer na própria escola). Estratégia – Apresentar visualmente o que vai acontecer.
 
  • Atividades que ele já sabe fazer  - Quando o estudante com TEA, entra na escola, já sabemos que ele vem com maior sensibilidade que os neurotípicos, isto é devido ao Transtorno do processamento Sensorial, o que o deixa mais sensível ao barulho, levando-o a desorganizar-se em sala. Muitas vezes separamos para início de trabalho o ensino do NOME, IDENTIDADE, ou registro de um desenho, ou texto...
  • Não obstante  para o estudante com TEA, nosso objetivo é ele aprender a fazer atividades em sala de aula. De modo que no princípio, eu não vou dar atividades novas, que ele ainda não saiba, irei dar atividades fáceis, que ele já sabe, (soma ele já sabe, agora vou ensinar multiplicação...) NÃO, para ele continuará a ser soma, quero que para ele, este início de trabalho, seja tranquilo, suave com atividades que ele já saiba. Não estou perdendo tempo, estou ensinando HABILIDADE para ele. Para estudante neurotípico, habilidade de ficar sentado é natural, para o autista pode ser muito difícil, temos que organizar de uma maneira que seja efetiva. Qual é meu objetivo: Permanecer na sala fazendo atividade. Eu não posso introduzir outro objetivo que seja desafiador, pois não vai funcionar.
 
  • Dar opções de atividades -  Toda vez que eu for dar a atividade, dou a opção de atividade. Tenho 2 ou até 3 atividades; Qual, vc quer fazer? Isso funciona muito bem, ainda que as vezes ele acaba fazendo tudo. (preciso: ter um arcabouço um pouco maior, planejamento para oferecer atividades um  pouco diferentes para a mesma habilidade. (isto tem um valor enorme de redução de comportamento problema)
 
  • Intervalos com reforçadores  - Intercalar momentos de aula com intervalos mais frequentes. Esses intervalos não são contados simplesmente pelo tempo, mas pela quantidade de atividades que o estudante faz. Em vez de eu fazer uma atividade extensa, eu faço atividades com menos tarefas, com menos coisas para fazer e cada vez que ele faz uma atividade, ele pode receber um reforçador (figurinha, atividades separadas de seu interesse, ficar com uma bolinha sensorial por 5 minutinhos...).
 
  • Trabalhar com o público alvo da inclusão exige de nós, demandas particulares de conhecimento e preparo ainda maior para atender as necessidades educacionais dos nossos pequenos.
  • Abraços inclusivos!
  • Diane Marli
Redes Sociais:
Visitantes: 1467

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *