“Nosso cérebro é como a Bolsa de Valores”
 
  • Neste vídeo, o cientista e médico brasileiro,  Doutor Miguel Nicolelis, referência mundial na neurociência,  um dos maiores gênios da neurociência no mundo, discorre uma linha de reflexão sobre os avanços no uso do cérebro para mover próteses e robôs. Seu trabalho ficou mundialmente conhecido após um tetraplégico dar o pontapé inicial da Copa do Mundo do Brasil, em 2014. Isso foi possível graças ao exoesqueleto projetado por Nicolelis. Neste episódio, o neurocientista brasileiro conversa com Mauro Naves e Roberto Indech sobre os segredos da mente humana, explica como funciona seu trabalho de "escuta" de neurônios e até dá sugestões de como usar a neurociência a favor do trader. Um episódio especial com uma das mentes mais brilhantes do Brasil!
 
  • Miguel Nicolelis cursou medicina na Universidade de São Paulo (USP) e fez doutorado no Instituto de Ciências Biomédicas, também na USP. Mudou-se para os Estados Unidos em 1989, fez pós-doutorado na Universidade Hahnemann, na Filadélfia e em 1994 tornou-se professor assistente de neurobiologia da Universidade Duke, na Carolina do Norte. Atualmente é Professor Titular de Neurobiologia e Co-Diretor do Centro de Neuroengenharia da Duke University, Estados Unidos, Consultor do Instituto do Cérebro da École Polytechnique Fédérale de Lausanne (EPFL), Suíça, e Coordenador do Instituto Internacional de Neurociências de Natal Edmond e Lily Safra (IINN-ELS), Brasil. Chefia um grupo de 30 pesquisadores do Centro de Neuroengenharia da Universidade de Duke, que emprega ferramentas computacionais, robótica e métodos neurofisiológicos para registros múltiplos de neurônios com o intuito de desenvolver neuropróteses capazes de restaurar a mobilidade dos membros superiores de pacientes paralisados por trauma ou degeneração do sistema nervoso central. Trouxe suas pesquisas também para o Hospital Sírio-Libanês de São Paulo e para o Instituto Internacional de Neurociências de Natal Edmond e Lily Safra (IINN-ELS), no Brasil. Ganhou 32 prêmios internacionais, escreveu cinco livros e publicou mais de 150 artigos, dos quais sete na Science e na Nature, as revistas científicas mais importantes do mundo. Apontado em 2004 pela revista Scientific American como um dos 20 maiores cientistas da atualidade. Dentre os prêmios mais importantes destacam-se: Cátedra Anne Deane de Neurociência, agraciado pela Duke University; Cátedra Santiago Ramón y Cajal, pela Universidade Nacional do México; Cátedra Santiago Grisolia, pela Universidade de Valência; Quatro vezes agraciado com o Prêmio Grass Lecture da Sociedade Americana de Neurociência; Cátedra Blaise Pascal, pela Escola Normal Superior de Paris; Professor Honoris Causa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Brasil; Conselho Científico Consultivo, Brain and Behavior Discovery Institute, Faculdade de Medicina de Georgia; Prêmio Plasticidade Neuronal da Fundação IPSEN
  • Fonte: Plataforma Lattes
 
Redes Sociais:
Visitantes: 88

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *